Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Livros’ Category

Vladimir Nabokov

Meio dia. Hora do meu almoço. Arroz, feijão, hambúrguer de soja e salada de alface. Como tudo em quinze minutos e desço para o cafofo. O cafofo é um lugar na empresa onde você pode relaxar, jogar vídeo game, assistir TV e ler. Sim, lá também tem uma biblioteca, onde você pode pegar livros emprestados.

Nesse dia resolvi garimpar as publicações, não queria ler nada do universo organizacional, queria achar algo mais quente, onde tivesse pelo menos umas imagens de mulher de biquíni, ou que falasse de sexo de uma forma diferente. Passei pelos livros do Philip Kotler e suas teorias sobre administração e marketing e fui direto para sessão de romance, pelo menos lá eu sei que rola algo mais propício para esse começo de tarde.

E foi lá, bem no cantinho da prateleira onde me deparei com um livro de nome exitante. “Lolita”! Ahhh Lolilta, muitas vezes me peguei pesquisando esse nome em sites pornôs, procurando aquelas atrizes magricelas, de trancinhas, aparelho nos dentes e com uma cara de boba, e aqui na minha empresa me deparo com um livro com o mesmo nome das minhas musas. Só pelo título já sabia que era o livro que estava procurando.

O livro Lolita foi escrito por Vladimir Vladimirovich Nabokov um escritor russo, nascido no dia 22 de abril de 1899. Isso mesmo, 22 de abril. Ótima data para escrever sobre sua obra mais famosa, sendo assim meu presente para esse escritor polêmico.

Capa do livro

O professor Humbert (personagem central desse livro) desde o começo do livro se intitula como um pervertido, que só consegue sentir atração por ninfetas, mas ninfetas verdadeiras, não essas meninas dos meus filmes que tem quase trinta anos mas parecem não envelhecer. O negócio dele erá meninas dos onze aos dezesseis anos, no máximo.

Mas Humbert se apaixona por uma especial, o nome dela é Dolores Haze, a bela filhinha de sua enteada que possui doze anos, essa é apelidada por Lolita.

Por mim ficaria aqui e escreveria cada detalhe desse romance do Nabokov, mas prefiro deixar no ar essa dica de leitura, para que cada um tenha suas próprias sensações ao lê-lo.

Depois de ler o romance, indico que vejam o filme, é bem fácil de achar, nele poderão ver a atriz que fez o papel da Dolores e ver que não é tão difícil de se apaixonar por essa Lolita. Meninas, o Humbert é um velho bonitão também (ele mesmo diz isso no livro), talvez algumas se encantariam por ele, mesmo aos doze anos.

Cena do filme

Depois desse livro entendi de onde vem a mítica relação do homem com as ninfetas e porque “Lolita” se tornou um termo tão buscado no imaginário masculino. Ah… minhas pesquisas pelo pornotube ou outros sites do gênero perderam um pouco a graça, sim só um pouco, pois nunca encontrei uma Lolita igual a de Nabokov nesses sites.

Dolores, Lolita. Obrigado Nabokov, de coração.

Read Full Post »

Tesão em ler

Nelson Rodrigues, Milo Manara, Bruna Surfistinha, Marta Suplicy e Vibrador Literário.O que todos esses nomes possuem em comum, é um apreço, um gosto, um interesse seja ele acadêmico, prático ou literário, sobre SEXO,erotismo ou a safadeza mesmo.  E todos com exceção do Vibrador Literário têm um espaço especial na Nova “Biblioteca de São Paulo”.

área adulta

Visitei o lugar, que ainda assim como a biblioteca, existe a pouco tempo, inaugurado em fevereiro deste ano, em um espaço restrito, escolha tomada por conta do grande número de crianças que circulam pelo local e que ainda não estão prontas para olhar as ex-BBB’s em fotos mostrando como elas vieram ao mundo, oferecidas pela revista Playboy, publicação que esta para consulta no espaço.

Além da revista de Hugh Hefner, o acervo oferecido pela Biblioteca tem publicações como a revista Trip e Vip que tem um segmento do nu não explícito. A fotografia erótica não conta apenas com o apoio dessas revistas, há também livros sobre o tema que podem ser consultados.

Quem leu o texto do VL sobre Hentai e achou que apenas os japoneses gostam de fetiche em quadrinhos, pode se surpreender e conhecer no acervo algumas das obras da arte seqüencial erótica escrita por artistas europeus como Guido Crepax e Milo Manara, que fazem dos quadrinhos um canal para mostrar a arte sensual.As estantes que ainda estão sendo preenchidas podem te ajudar naquele momento que talvez você precise de algo novo, pois a Biblioteca oferece versões da Bíblia do Sexo, o “Kama Sutra”, que pode ser consultado sem que precise ficar ruborizado de vergonha.E para quem gosta de aprender mais sobre como funciona a nossa cabeça na hora H ou mesmo se informar sobre como prevenir doenças pode ler o material didático que o espaço reserva.

É claro que junto com toda essa diversidade de formatos sobre “rala-e-rola”, é no romance que encontramos uma forma peculiar de expressar e entender a nossa libido. Nas estantes temos um bom número de livros sobre o tema, desde o já citado “Anjo Pornográfico” Nelson Rodrigues  ao “ Velho Safado” Charles Bukowski, e estes compartilham seu espaço com autores como Dalton Trevisan, Gregório de Matos e outros.

Enfim este é um local dedicado para quem quer se excitar de outras maneiras ou saber mais um pouco sobre sexo, portanto não deixe de visitar a Biblioteca de São Paulo e se esbaldar com seus deliciosos livros sensuais. Para saber um pouco mais sobre este local, como funcionou o processo de seleção e porque destinar um espaço para adultos, conversei com o Mario J. Silva, gerente do núcleo de programação e parcerias. Acompanhe:
Vibrador Literário – O que pretende a biblioteca SP com a sessão de livros para Adultos?

Mario J. Silva – Mostrar que temas tabus e muitas vezes apresentados como vulgares são também arte, cultura e muitas vezes boa literatura. A idéia é que as pessoas possam conhecer melhor a si mesmas e seus desejos, que no fundo são o que nos formam, através de livros que tratam do tema.
VL – Na visita ao local percebi que há outros assuntos, além de erotismo, por exemplo, violência, mas nota-se que o conteúdo erótico é maioria, por quê?

MJS – É meramente uma questão de mercado editorial. Na medida em que as editoras nos apresentam seus catálogos nos compramos o que atende a sessão.

VL – Como tem sido a experiência de ter esse acervo erótico na biblioteca, como as visitantes tem reagido há essa sessão?

MJS – Ainda é cedo para uma análise clara, mas notamos que o interesse passa a crescer dia-a-dia. Como ainda é um tema tabu para uma biblioteca, muitos olham ou passam rapidamente pelo local. Mas já há os que retiram livros para empréstimo. No mês de junho o tema da programação da BSP será AIDS. Criarei algumas ações voltadas ao público adulto que falarão abertamente sobre AIDS e sexo hoje. Pretendo assim estimular as pessoas a conhecer melhor este acervo específico da BSP
VL – Como surgiu a idéia de ter essa seção? E como é a seleção dos livros que para essa sessão?

MJS – Surgiu durante o projeto da BSP quando foi colocado o tema sobre qual seria o acervo da BSP. Numa dessas discussões percebeu-se que nenhuma biblioteca pública no Brasil tratava deste tema ou falava com um leitor afinado com ele.

VL – Recomenda algum livro da sessão adulta?

MJS – Recomendo ‘O Livro Negro de André Dahmer’. Absolutamente genial.

Conheça a Biblioteca de São Paulo

BPS geral

Biblioteca de São Paulo

Av. Cruzeiro do Sul, 2630, Santana – ao lado da estação Carandiru do metrô

Horário de funcionamento de terça a sexta das 9 às 21 horas

Sábados, Domingos e Feriados das 9 às 10 horas Telefone – 11 – 2089-0800

(mais…)

Read Full Post »